O Corpo Energético, O que são Chakras?

O corpo energético

backlit beach dawn dusk
Photo by Cedric Lim on Pexels.com

Os primeiros manuscritos sobre cura energética remontam a mais de cinco mil anos. E apareceram pela primeira vez na Índia nas escrituras hindus, conhecidas por Upanishads. Existem também referêcias sobre o assunto nos textos originais dedicados a medicina tradicional chinesa, escritos na mesma época.

Diferentes culturas ancestrais concebem um sistema de cura baseado em um fluxo de energia, que é o fundamento de toda a vida, proveniente de uma energia maior, uma energia vital ou universal. No Japão, esta energia vital corresponde à palavra Ki (de onde oriunda a palavra Reiki), na China, é conhecida como “Chi”, os hindus a chamam de “Prana” e os cristãos a ela se referem como o “Espírito Santo”.

Além da energia vital ou universal concebida pelos diversos sistemas de cura, é também proferido o conceito de que nosso corpo humano é permeado por uma energia sutil. Para essa energia subjacente no corpo humano, existem diversas designações, como por exemplo, corpo astral, corpo etérico, campo áurico, corpo sutil, corpo espiritual, e tantos outros exemplos.

De como essa energia sutil é descrita ou localizada, existem muitas semelhanças e divergências. A quantidade de corpos energéticos que permeiam o corpo físico também não é unânime. Há culturas que afirmam que são sete, outras afirmam que são nove, outras vão mais além. Enfim, não há um acordo quanto a isso. Mas, o fato é que conhecemos e sobretudo sentimos os efeitos desta energia sutil no nosso próprio corpo.

De culturas milenares, dois sistemas de cura energética se destacaram e ambos vêem do Oriente; os sistemas de cura da China e da Índia. É importante notar que existem relatos sobre cura energética dos povos incas, dos egípcios, dos índios Cherokee, do Tibete, e de tantos outros, mas por enquanto, vamos apenas nos dedicar a alguns dos conceitos dos sistemas de cura da medicina tradicional da Índia, Ayurveda.

Clique AQUI para saber o que são Chakras & Nadis


Fontes:
Les Chakras – L’anatomie occulte de l’homme – Coquet

Der Energiekörper des Menschen – Handbuch der feinstofflichen Anatomie – Cyndi Dale

Energie Heilung – Die Kräfte des Energiekörpers wahrnehmen, harmonisieren, nutzen – Ann Marie Chiasson

Chakra Selbsterapie in sieben Stufen – Jean Pierre Crittin

Expansão da Consciência

Como atua o Reiki?

Eu ouço muitas pessoas me afirmarem: “Ah, mas eu preciso ter fé para que o Reiki funcione”. Sinceramente, muitas vezes eu fico calado, mas chegou a hora de dizer uma coisa: A energia está aí. Acredite ou não, a energia está aí atuando sobre você. E o Reiki é justamente isso; uma técnica japonesa de canalização desta energia. É uma técnica usada com o intuito de focar estas energia, a energia universal que permeia o universo e a energia vital que permeia os seres vivos. E os japoneses são bons nisso, em focar, em se concentrar.

A primeira coisa que tem que se ter em mente é se conscientizar destas energias que permeiam você e o universo. É a conscientização de que estas energias unem você ao universo. E para trazer esta consciência a vocês, eu não preciso de nenhum discurso esotérico, religioso ou muito menos místico. Basta conhecer o que a ciência do século 21 tem dito sobre “Matéria e Energia”.

A menos de 400 km de Zurique, cientistas do mundo inteiro trabalham pra responder esta e uma outra série de perguntas relacionadas a matéria e energia, no CERN em Genebra. Mas para entender o que esses cientistas fazem, temos que retomar a ciência no tempo dos gregos. Pois foram os gregos que falaram pela primeira vez da existência do átomo, que acreditavam ser a menor partícula de matéria do universo. Por isso deram a essa partícula o nome de átomo que em grego quer dizer: indivisível.

Os gregos já sabiam que toda matéria é constituída de átomos, pequenas particulas microscópicas como tijolinhos que juntas formam a matéria. Então, todos os objetos que nos rodeiam são feitos de átomos. Nós mesmos, aqui em carne e osso, somos matéria, feitos de átomos.

atomo
O átomo

Mais tarde, séculos depois, os cientistas descobriram que o átomo não é a menor partícula do universo e conseguiram dividí-lo em particulas menores, dentre elas, a mais famosa; o Quark. E então, os cientistas começaram a observar como se operavam estas partículas subatômicas e começaram a medir e a monitorar o comportamento destas partículas. Descobriram que o átomo é constituído de prótons, elétrons e neutrons que orbitam ao redor de um núcleo. E então, os cientistas muito curiosos resolveram medir o comportamento dessas partículas subatômicas e realizaram no século 19 um experimento que revolucionou a ciência moderna.

Os cientistas ao lançarem elétrons em direção a uma placa com duas fendas, notaram que surgiam um padrão completamente diferente do esperado, em vez de criarem duas linhas nos formatos das fendas, criou-se um padrão de interferência como se agissem como ondas, ou seja, surgiram várias linhas na placa atrás da fenda. Então os cientistas ficaram encafifados e acharam que o primeiro experimento havia falhado, e resolveram repetir um segundo experimento, e aí o resultado se mostrou normal, dentro do esperado, os elétrons novamente passaram pelas duas fenda e criaram duas linhas, como seria o normal. Mas eles precisavam repetir o experimento pra a comprovação final e descartar de vez o primeiro experimento, e lançaram mais uma vez os eletróns, e desta vez, os eletróns se comportaram novamente como ondas deixando uma série de linhas na placa atrás da fenda. Repetiram inúmeras vezes e os resultados se alternavam. Aí os cientistas chegaram a desconcertante conclusão: o elétron se comportava ora como partícula, ora como onda.

Dualidade Onda/Partícula
Experimento da Dupla Fenda e a dualidade Onda/Partícula

Esse experimento conhecido como experimento da Fenda Dupla, mostra que toda esta realidade que nos cerca é também feita de ondas. Um elétron é partícula e é onda ao mesmo tempo. E isso põe em cheque todo o paradigma materialista que consiste na idéia de que a substância primordial do universo é a matéria, mas não é…

Mesmo que o materialismo científico não entenda até hoje o que de fato acontece na mecânica quântica, esses preceitos da dualidade onda/partícula estão em toda a nossa tecnologia eletrônica, desde aparelhos de rádio, computadores, celulares, enfim, esse dualismo permeia toda nossa vida diária. Muito foi feito na área tecnológica depois que cientistas descobriram que uma partícula é onda e partícula ao mesmo tempo.

Mas, vocês devem estar se perguntando: O que isso tem a ver com o Reiki?

Ora, para que a gente entenda como se opera a energia Reiki, nós temos que nos distanciarmos do materialismo científico e prestar atenção quando a Mecânica Quântica afirma que o átomo e suas divisões subátômicas se comportam ora como partículas, ora como onda. Ao se comportarem como ondas, emitem frequências vibratórias, e frequências vibratórias emitem energia. Toda onda é energia. Portanto, no modelo da Mecânica Quântica, a Matéria sai dos holofotes para dar lugar a Energia.

Se somos constituídos de átomos e átomos são constituídos de elétrons e elétrons se comportam também como ondas, é fácil supor que nós também emitimos ondas, e se ondas emitem uma frequência vibracional, é fácil também supor que cada corpo emite uma frequência vibracional. E são essas ondas emitidas em nosso entorno que deteminam o campo energético.

ondas eletromagneticas
Ondas eletromagnéticas

E o Reiki trabalha justamente no campo energético, na busca do equilíbrio energético dos corpos, tanto em seres humanos, quanto em animais ou plantas. A técnica do Reiki desenvolvida no Japão faz com que sintonizamos nossas frequências em estados vibracionais mais positivos e mais elevados.

Como se fossemos pequenos rádios de pilha a procura de uma estação, se mexermos o dial mais pra direita só encontraremos ruídos e estática, um pouco mais pra esquerda e sintonizamos a estação desejada para escutar o programa que buscávamos. Portanto, o Reiki ajuda-nos a sintonizar na estação desejada, na frequência da saúde, na frequência da paz interior, na frequência do amor…

O Reiki ajuda-nos a sintonizar na estação desejada
O Reiki ajuda-nos a sintonizar na estação desejada

E pra sentir na pele os beneficios do Reiki, não precisamos entender de mecânica quântica, do mesmo jeito que pra acender a luz da sala não precisamos entender de eletrônica. Basta sabermos que o comportamento do átmos do qual fazemos parte, nos dá a dica de como funciona nosso corpo energético e que a técnica Reiki nos serve para harmonizar não só a energia que nos permeia (Rei) como também a energia que emana de nós (Ki).

Aprenda com o Reiki a manusear a energia a seu favor
Aprenda com o Reiki a manusear a energia a seu favor

 

 

 

 

 

O Corpo Energético

O que é Aura?

A Aura é um campo de energia que envolve todos os seres vivos. Não só os seres humanos têm uma Aura, mas também plantas e animais. Pode-se imaginar este campo energético envolto ao corpo humano como uma nuvem colorida em formato oval.

A Aura emite diversas tonalidades de cores referentes ao nosso estado emocional. Segundo as tonalidades da Aura, pode-se concluir se alguém é mais extrovertido ou introvertido, por exemplo. A Aura pode dizer muito do estado de ânimo, da saúde, da personalidade ou mesmo, das aptidões de uma pessoa.

Cores da Aura
A seguir, uma visão geral do significado das cores da Aura:

Vermelho escuro: físico, trabalhador, realista, fisicamente ativo, fundamentado, força de atividade, sobrevivência, vitalidade, força, perseverança, inventor, explorador.
Vermelho: energético, físico, sexual, combativo, atinge objetivos, coragem, atividade, entusiasmo, força de vontade, vencedor, poder, empreendedor, promotor bem sucedido.

Laranja: produtivo, positivo, orientado para a ação, alegria, prazer, desafio, emoção, aventura, excitação, expressão criativa, sentido comercial.

Amarelo escuro: analítico, intelectual, detalhado, lógico, honesto, confiável, exato em pensar bom senso comercial, estrutura, segurança, ciência, perfeccionismo.

Amarelo: brincalhão, criativo, inteligente, charmoso, macio, generoso, leva a vida levemente, irradia calor e otimismo, dá alegria, precisa de movimento, animador.

Verde: social, comunicativo, sociável tipo, perfeito / r host, natureza amorosa, viajando, harmonioso, bom professor.

Verde escuro: orientado a objetivos, comunicativo, material, percepção rápida, ama luxo, personalidade executiva, responsável, organizador, planejador ambicioso.

Azul: carinhoso, sensível, amoroso, útil, fraterno, leal, educador, o desejo de ser útil, ajudar os outros e apoiá-los, compaixão, ajudantes.

Azul índigo: introvertido, silencioso, artístico, tem profundos sentimentos internos, clareza, amor, buscador, busca por maior verdade, autenticidade, sentido pronunciado de valores internos.

Violeta: intuitivo, artístico, idealista, mágico, sensual, futurista, visionário, carismático, teórico, aberto a novas possibilidades, inventor inovador.

Magenta: místico, artístico, suave, criativo, frágil, sensível, ético, vive em sua própria imaginação, sonhador.

Branca: não físico, espiritual, claro, cura, calma, iluminado, transcendente, sensível, vivendo em uma dimensão diferente, transformação, poder espiritual.


Fonte: http://www.aurafotos.de/​

Clique AQUI e conheça as 7 camadas da Aura